ABC Alimentos

  • Amaranto: Tão pequeno e cheia de coisas boas! Principalmente para gente com dieta vegan porque tem um alto valor em proteínas, ferro, vitaminas, magnésio e fibras. Ou para alguém com intolerância de glúten porque não tem. Encontre aqui todas as receitas com Amaranto.

B

  • Beterraba: Não só com uma cor bonita que é ideal para tingir molhos, bolos, massa de modelar para crianças ou até roupa numa forma natural, a beterraba também faz bem à tua saúde. Contém zinco, potássio, magnésio, fósforo e ferro (mas pouco) e também tem tanto vitaminas (A, complexo B e C) quanto antioxidantes. Encontre aqui todas as receitas com Beteraba.

C

  • Curcuma: A planta vem da Índia e Sudeste Asiático. É mais um remédio do que uma especiaria. Também é usado na Medicina Tradicional Chinesa (TCM) e Ayurveda, a medicina indiana, pois tem efeito antálgico. O ingrediente mais importante é o curcumin que por acaso na industria alimentar está usado pelo nome E100 e serve como corante natural. Encontre aqui todas as receitas com Curcuma.

  • Kale: Também conhecida pelo nome couve kale frisada (Brassica oleracea var. sabellica) é uma couve bem engraçada com caules grossos bordado por folhas super frisadas, parecidas com o cabelo dum caniche. Quando vês, provavelmente não podes imaginar comer isto crua. Mas os benefícios da couve kale crua à saúde são espectacular e não queremos perder os nutrientes todos a cozinhar na água. É rico em Vitamina A, C e K, cálcio e potássio. Além disso tem efeito anti-inflamatório e antioxidante. Não é por acaso que se chama superfood!
  • Encontre aqui todas as receitas com Kale.

M

  • Millet: Também conhecido pelo nome milho-miúdo ou painço. É um cereal perfeito para começar de alimentar o teu bebé porque não tem gluten, é muito digesto, é rico em magnésio, vitamina A e zinco. Encontre aqui todas as receitas com Millet.

T

  • Topinambur: Conhecido pelo nome botánico Helianthus tuberosus o Topinambur chegou a Europa no século XVII. Foi Samuel de Champlain, explorador francês e fundador da cidade Quebec no Canadá que trouxe o tubérculo roxo para Franca. Aí tornou-se uma iguaria da Corte Real. No entanto a excessiva fertilidade desta planta tornou-se um problema para a agricultura convencional. Crescia de forma tão rápida e sem controlo que foi considerada como uma erva daninha. Só nos anos 1990 os agricultores biológicos voltaram a cultivar o Topinambur. O valor da Inulina, um composto de frutose que não afeta o nível de açúcar no sangue e, portanto, é benéfico para os diabéticos é considerado particularmente importante. Encontre aqui todas as receitas com Topinambur.

 

…MAIS COM CADA RECEITA PUBLICADA